domingo, 21 de março de 2010

Tesouros tradicionais*


Antonio Carlos da Fonseca Barbosa

O som metálico dos sinos que flui pelas ruas de certas cidades históricas de Minas Gerais é, na verdade, uma linguagem, com função religiosa e social. E os toques variados são agora patrimônio cultural imaterial brasileiro, aprovado, no fim de 2009, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Cultural (Iphan). "O toque dos sinos é o regsitro de uma cultura, e mostra que práticas do cotidiano - valores, tradições, costumes - podem ser vistas como bens do país", diz Márcia Santana, diretora do Iphan. Uma pesquisa constatou que os sinos estão sendo substituídos por instrumentos eletrônicos, por causa do custo de manutenção e da necessidade de pessoal para tocá-los em diferentes momentos da liturgia. Também preocupa a quantidade de sinos rachados, sem badalo ou sem local apropriado para ser instalados, o que serviu de justificativa para a proteção.

Os patrimônios imateriais do Brasil

1 - Paneleiras de goiabeiras (ES)
2 - Grafismo dos índios wajãpis (AP)
3 - Círio de Nazaré (PA)
4 - Samba de roda do Recôncavo (BA)
5 - Viola de cocho (MT/ MS)
6 - Baianas de acarajé (BA)
7 - Jongo do Sudeste
8 - Cachoeira de Iauaretê, sagrada para os índios do alto rio Negro (AM)
9 - Feira de Caruaru (PE)
10 - Frevo (PE)
11 - Tambor de crioula (MA)
12 - Samba no Rio de Janeiro
13 - Manufatura dos queijos das serras da Canastra e do Salitre (MG)
14 - Roda de capoeira (BA)
15 - Renda irlandesa de Divina Pastora (SE)
16 - Toque dos sinos (MG)


*Texto publicado na edição de março de 2010 da revista National Geographic Brasil.


A nossa viola de cocho também está entre os patrimônios imateriais do Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário