quinta-feira, 28 de junho de 2012

A lição do Kubrusly.

O jornalista Maurício Kubrusly esteve em Cuiabá esta semana, para participar de mais uma edição do projeto "Sempre um papo". Como o próprio nome já diz, o projeto não promove palestras, mas bate papos com personalidades da literatura brasileira. O evento permite uma participação bem legal do público, que pode levantar a mão e fazer perguntas quando quiser. Além de ser conhecido por suas reportagens no Fantástico, Maurício tem dois livros publicados: "Me leva, Brasil" e "Me leva, Mundão".

Em Cuiabá, o jornalista falou basicamente sobre casos que presenciou durante suas viagens a outros países e que estão no livro "Me leva, Mundão". Um dos casos que mais gostei foi o "casamente polonês". Maurício teve a oportunidade de participar de um casamento tradicional na Polônia. Em um determinado momento da festa, as famílias da noiva e do noivo surgem com dois sacos, que logo são jogados para cima.

Deles caem muitas moedas, que se espalham pelo local. Então, noiva e noivo jogam-se no chão, à procura das moedas, com a intenção de juntar a maior quantidade possível. Ao final da "brincadeira", as famílias contam quantas moedas cada um conseguiu reunir. Aí vem a surpresa: aquele que juntou a maior quantidade será o responsável por administrar o dinheiro do casal (enquanto o casamento durar). Não tem choro, nem vela!

Maurício é um  jornalista de humor duvidoso (entenda como quiser), conhecido pelas reportagens irreverentes, que buscam mostrar o inusitado. Mas além dos casos bizarros que permeiam sua vasta experiência como repórter, ele deixou uma lição interessante no "Sempre um papo": é muito importante sair da rotina! Deixo vocês com esta frase do Maurício, que resume bem:


As pessoas se acostumam a fazer sempre as mesmas coisas. Acordam, escovam os dentes e fazem o mesmo caminho até o trabalho. Na vida, é importante sair da rotina, mudar as coisas, fazer ao contrário. O que procuro mostrar nos livros e nas reportagens são justamente as histórias de pessoas que resolveram mudar, fazer diferente. Sempre há possibilidade de fazer um outro caminho. (M. K.)
Sempre um papo com Maurício Kubrusly.


Nenhum comentário:

Postar um comentário